Fitoterapia

A Fitoterapia é o mais antigo sistema de medicina que se conhece. Da Terra sai a matéria-prima para esta área da medicina complementar e alternativa.

Aqui pretende-se responder à patologia, estimulando o organismo no seu todo, combatendo os distúrbios sofridos no equilíbrio interno, que se geram antes da patologia propriamente dita se revelar. Assim, o funcionamento é diferente da medicina convencional, já que esta procura abolir os sintomas que a patologia implícita manifesta, ou destruir o seu agente etiológico.

fitoterapia chinesa

A Fitoterapia Chinesa lida com um total de três mil plantas e de acordo com a filosofia chinesa cada planta é classificada segundo cinco paladares e quatro naturezas, que por sua vez estão directamente relacionados com os Cinco Elementos e com o Yin/Yang.

Assim os sabores dividem-se em Ácido (relacionado com o elemento Madeira), o Amargo (elemento Fogo9, Doce (elemento Terra), Picante (elemento Metal) e o sabor Salgado que se relaciona com o elemento Água. Quanto ás naturezas, estas dividem-se entre Fria e Fresca (Yin) , Quante e Morna (Yang).

Neste sentido a Fitoterapia Chinesa serve-se da valência curativa das ervas, flores, folhas, raízes e outros elementos vegetais (colhidos em determinado local e época específica) para tratamento de doenças crónicas, redução de efeitos secundários de medicamentos, prevenção de maleitas ou solucionamento de desequilíbrios.

Seja em forma de infusão, ampola, pastilha, ungento, tónico, entre outros, as fórmulas de combinação entre as várias plantas são imensas, No entanto, das três mil utilizadas, as quais se conhecem os principais activos, apenas cerca de 200 podem ser usadas com alguma frequÊncia.

A dosagem está directamente ligada ao efeito terapêutico, só devendo ser utilizadas com orientação. A escolha dos compostos a serem ministrados depende da individualização, portanto, compostos diferentes muitas vezes são utilizados para a mesma patologia em pessoas diferentes.

Partilhar